Lorenza Aildasani, professora da Winner Idiomas, que se tornou referência no ensino da língua, lista 10 atitudes que diferenciam um professor de inglês eficiente

Ensinando o idioma há 24 anos, ela conquistou o selo Platinum da Universidade de Cambridge e aplica certificações em todo o país

Que o inglês é de extrema importância atualmente tanto na vida profissional quanto pessoal, ninguém tem dúvidas. Não é de hoje que o mercado de trabalho exige o aprendizado da língua inglesa para diversos cargos e funções. Porém, de acordo com uma pesquisa de 2017 feita pela Catho e publicada na Revista Exame, apenas 5% dos brasileiros falam uma segunda língua e menos de 3% tem fluência em inglês.  Mas, como saber se o profissional que está te ensinando um idioma diferente é quem realmente atenderá suas expectativas e objetivos de aprendizado? 

Lorenza Aildasani, que ensina inglês há 24 anos e é professora e idealizadora da Winner Idiomas, se tornou referência no ensino do idioma, inclusive, com certificação pela Universidade de Cambridge, sendo o primeiro centro no Brasil que possui o selo Platinum e certifica outras escolas. Para ajudar na escolha do melhor professor de inglês, Lorenza listou 10 atitudes que diferenciam um professor de inglês eficiente. 

“A gente sabe que não existe perfeição, mas isso não pode servir de desculpa para não buscarmos evolução. Todos nós temos pontos que precisamos melhorar e para ajudar alunos e professores de inglês a reconhecer o que está bom e o que precisa mudar. Uma pergunta que escuto muito é: ‘Como selecionar, como escolher um professor de inglês’? Então listei alguns itens de extrema importância para auxiliar as pessoas neste momento de escolha de um bom professor de inglês”, conta a professora.

  1. Conhecimento: O quanto de inglês esse professor tem conhecimento? Ele tem certificação de língua? Ela tem conhecimento sobre o inglês para negócios, inglês jurídico? Professor tem que estar sempre aprendendo, tem que fazer cursos e mais cursos sempre;
  2. Atitude: a atitude deste professor perante à aula. Ele chega no horário? Ele corrige o seu material? Professor tem que se impor, tem que ser exemplo;
  3. Metodologia, habilidade: Esse professor sabe dar aula? Ele identifica meu estilo de aprendizado?
  4. Consciência: ou seja, esse professor tem consciência de onde ele é muito bom, ou de onde ele precisa melhorar? Essa dica serve tanto para os alunos, na hora de escolher o professor de inglês, quanto para o professor, para saber exatamente onde precisa melhorar profissionalmente;
  5. Preparo: Para ser professor de inglês é necessário ter formação técnica. Não é apenas ser falante da língua. Um ótimo professor precisa ter um excelente nível linguístico no inglês, estudar constantemente e manter-se atualizado;
  6. Organização: Um bom professor precisa estar sempre preparado para as aulas, assim como o piloto tem plano de voo, mesmo já tendo voado a rota 100 vezes, o professor tem que ter plano de aula;
  7.  Clareza:Um profissional claro, que foca nos objetivos, necessidades e realidade dos alunos.
  8. Interação: Um professor que motive, oriente, use dos mais variados recursos para o ensino e que troque com seus alunos, dê um feedback aos alunos e os escute também;
  9. Estímulo: Bons professores estimulam seus alunos e é essencial incentivar os estudantes na leitura, escrita, compreensão oral e fala de um novo idioma;
  10. Dinamismo e entusiasmo: Um profissional que demonstra paixão pelo o que faz contagia os alunos. 

Lorenza 
Quem pensa que a vocação de teacher veio porque Lorenza sempre teve facilidade com a língua estrangeira, está enganado. Foi depois de sofrer um ‘mini bullying’, como ela mesma define, na infância, que Lorenza se esforçou para aprender sem novos traumas e com uma metodologia correta. Quando se encontrou no inglês, aos 13 anos, já sabia qual seria sua profissão. 

“Eu tenho 42 anos e lembro até hoje de como me traumatizei pela dificuldade em falar inglês. Na quinta série uma professora me pediu para ler um trecho de um livro e eu li a palavra ‘tomorrow’ com uma pronuncia incorreta. Naquele minuto a professora deu um pequeno sorriso de lábio. Ela não riu da minha cara, mas a sala toda caiu na risada. Por uma semana meu apelido passou a ser ‘tomorrow’ na escola, e esta mesma professora conversou com a minha mãe e a incentivou me matricular em uma escola para aprender a língua inglesa”, relembra Lorenza, que dos 13 aos 15 anos, fez aulas em grupo em uma famosa escola, depois fez um intercâmbio em Chicago, e desafiou-se ao aprendizado: “Fazia inglês de segunda a quinta, das 20h às 21h30, numa turma de adultos. A pessoa mais próxima da minha idade tinha 35 anos. Pensei que ia ser engolida, mas consegui aprender.”

Hoje em dia, após ter vivido na pele experiências com métodos que não encaixavam com seu aprendizado, e depois ter dado aulas de inglês em outras escolas das quais também notava-se a não dedicação personalizada ao aluno, Lorenza comemora ter criado a Winner Idiomas em 2001, e quer que cada dia mais pessoas se deem a oportunidade em aprender inglês sem ‘fórmulas mágicas’ e com professores verdadeiramente capacitados. 

“Abri minha escola ao notar que o aprendizado dos meus alunos, em outras escolas, não acontecia devido ao método lá aplicado. Precisava fazer alguma coisa. Na Winner eu aplico um teste comportamental para a pessoa e identifico, por meio de técnica de coaching, qual o melhor aprendizado. Ensino de adulto não funciona em grupo, não adianta. Tem que ter aula individual e com um professor que saiba o que está fazendo”, explica ela. 

Centro Autorizado Cambridge Assessment English mais querido e eficiente do Brasil
A Winner Idiomas possui, desde 2010, um reconhecimento e certificação internacional, e funciona como o Centro Autorizado Cambridge Assessment English, podendo certificar outras escolas e professores em todo o território nacional. A conquista do título foi merecida por Lorenza após um convite da Cambridge Assessment English para ela ser um centro de certificações no País. Sua escola recebeu um representante da universidade e foi capacitada para a função, sendo atualmente o mais querido e eficiente do Brasil. 

“Eu era especializada em inglês jurídico e gostaria de aplicar em meus alunos uma prova que se chamava ILEC (International Legal English Certificate). Porém, ao levar meus mais de vinte alunos para fazer a prova em outra escola, notamos que infelizmente os professores de lá não estavam totalmente capacitados e eu então fui convidada para ser um centro. Hoje, minha escola é mais do que apenas um centro de Cambridge, somos um centro com selo Platinum e os meus clientes também são escolas de ensino bilíngue ou não”, conta orgulhosa a professora. 

Além do aprimoramento pessoal, Lorenza e a Winner Idiomas, incluem em seu pacote soluções globais personalizadas: consultoria online, consultoria de RH para recrutamento e seleção, curso de escrita por e-mail e cursos preparatórios para testes internacionais Cambridge English. “Eu fico frustrada ao ver na internet alguns cursos e métodos mágicos sendo endeusados. Método mágico para aprendizado e educação é pior do que mágica para emagrecer. Na educação a coisa é muito séria. As pessoas deveriam ter certificação para poder ensinar, assim como personal trainer sem qualificação, também não pode passar um treino”, diz. 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here