GHT apresenta sistemas de segurança para equipamentos móveis e indústrias na M&T Expo 2018

Sistemas de combate a incêndio, lubrificação automática e de monitoramento para equipamentos pesados estão entre os destaques da empresa

Entre os dias 26 e 29 de novembro, em São Paulo, o Grupo Hidrau Torque (GHT), líder na distribuição de peças de reposição para equipamentos pesados, participará da M&T Expo 2018 apresentando a sua linha de sistemas. No estande de número 1530, localizado na rua principal da Feira, a empresa irá destacar três dos principais sistemas: combate a incêndiolubrificação automática e câmeras para monitoramento e auxílio nas manobras. Juntos, eles prometem trazer, além de segurança, mais produtividade e redução de custos nas operações da construção e da mineração.

Sistema de combate ao incêndio
Voltado para aplicação em equipamentos móveis, o sistema de combate a incêndio do GHT atua por meio de sensores de chamas, opção mais indicada para máquinas que operam em situações extremas por detectar facilmente a presença de fogo em seu estágio inicial. “Nossa linha de combate ao incêndio é uma das mais modernas do mundo e conta com grande know-how em projetos, instalação, manutenção e inspeção dos mais variados modelos de máquinas”, conta o especialista em sistemas de segurança do GHT, Plínio Panza.

Composto por um ou mais cilindros inseridos normalmente na área externa do equipamento e por um painel instalado na cabine, responsável por monitorar todos os componentes (atuadores manuais, sensores, disparadores e pressão dos cilindros) e avisar quando algum deles está com problema, o sistema de combate ao incêndio do GHT possui um importante diferencial: além do pó químico seco, que é disparado em casos de incêndio para extinguir as chamas, ele também pode contar com um agente líquido, com a finalidade de resfriar as partes com excesso de calor.

“O agente líquido ajuda a solucionar um problema recorrente na mineração. Sem ele, seria muito possível o fogo reacender minutos após a ação do pó químico seco, pois os componentes continuam quentes e podem estar enclausurados de combustíveis como graxa, diesel e outros fluidos. O agente líquido, por sua vez, alcança e ajuda a resfriar os pontos mais críticos e menos acessíveis das máquinas”, explica Panza.

Sistema de lubrificação automática
Cada vez mais popular entre as máquinas empregadas na mineração, a lubrificação automática permite que todos os pontos de um equipamento sejam lubrificados na dosagem e tempo correto, o que traz diversos benefícios, desde a redução de custos até o aumento de produtividade, em comparação à lubrificação manual.

O sistema de lubrificação automática do GHT funciona basicamente com uma bomba, que pode ser acionada por alimentação elétrica, hidráulica ou pneumática e tem a função de pressionar o fluxo do lubrificante por meio de tubulações até às válvulas dosadoras ou injetores. Os dosadores, por sua vez, garantem que a quantidade necessária de lubrificante seja direcionada aos pontos determinados em projeto, de acordo com o tamanho da área e rotatividade de trabalho.

Segundo Panza, os benefícios mais importantes trazidos pelo sistema dizem respeito à segurança. “A lubrificação automática evita que o responsável pela manutenção do equipamento acesse espaços confinados ou muito altos, que ofereçam risco à vida”, diz. Consequentemente, diminui-se também os custos com mão de obra. Para se ter uma ideia, um caminhão fora de estrada conta com quase 40 pontos de lubrificação, que precisariam ser lubrificados um a um, se não fosse pela automação do processo.

Outro diferencial é que, graças à lubrificação automática, os equipamentos não precisam parar tanto para a manutenção. A lubrificação manual, por exemplo, demanda paradas com média de 30 minutos por dia, e mesmo assim, não possuem a mesma qualidade de lubrificação de um sistema automático. “Isso traz uma redução de custo de manutenção na ordem de 30%, bem como um ganho de 50% na disponibilidade da máquina, que não precisa parar a sua operação para ser lubrificada”, complementa Panza.

 

Sistema de câmeras e monitoramento
Pensando em cobrir os pontos cegos dos equipamentos de mineração e construção, o GHT disponibiliza ainda soluções de monitoramento de alta tecnologia e de fácil manuseio para equipamentos pesados. “Tratam-se de câmeras importadas com sensores infravermelhos e de alta precisão e qualidade que, instalados em pontos cegos, possibilitam ao condutor a visão completa ao redor do equipamento, mesmo à noite ou em ambientes de baixa luminosidade”, explica Panza.

Entre os destaques desta linha está o sistema apelidado de “olho de pássaro”. Ele é composto por quatro câmeras com visão de 180°, que são instaladas nos quatros pontos principais da máquina: lateral direita, lateral esquerda, frontal e traseira. “A magia acontece quando as câmeras são ligadas a um módulo ECU, que capta as quatro imagens e as juntam em uma só, trazendo uma visão completa do equipamento, que é mostrada de cima. Daí vem o nome “olho de pássaro”, conta Panza. Segundo ele, a solução traz como benefícios menos acidentes de trabalho, manobras mais seguras e mais produtividade para toda a operação.

Além dos sistemas citados acima, os visitantes que comparecerem ao estande do GHT durante a M&T Expo poderão conhecer de perto outras soluções da companhia, como as linhas de iluminação e abastecimento rápido.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here